“Se adaptar a mudanças é essencial para sobreviver no mercado”, diz COO da AB2L

Compartilhe:
RSS
Facebook
LinkedIn
Instagram
Twitter
Follow by Email

Com cada vez mais startups voltadas para o setor jurídico, tornou-se necessário criar uma associação que representasse esse nicho. Tudo começou quando Bruno Feigelson, CEO da Sem Processo, encontrou com o CFO da Invenis. Após uma discussão sobre o mercado que os próprios advogados estavam inseridos, Feigelson decidiu criar um grupo no WhatsApp para ampliar essas discussões. Foi a partir dessas conversas informais que surgiu a ideia de fundar a AB2L, uma entidade que reúne iniciativas de tecnologia no mundo jurídico e trabalha para ajudá-las.

A AB2L busca integrar os profissionais das áreas jurídicas à tecnologia, a fim de criar um grande ecossistema de inovação. De fato, esse é um mercado que possui uma alta demanda. “Hoje a AB2L possui um radar com mais de 150 lawtechs – segmentadas de acordo com suas respectivas operações”, disse Leonardo Toco, COO da AB2L, durante o LawTech Conference.

Para Leonardo Toco, aliar-se ao ecossistema de inovação jurídica é essencial para sobreviver no mercado. “Hoje não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente. Mas o que melhor que se adapta as mudanças que estão acontecendo no mundo. Se adaptar as mudanças é essencial para sobreviver no mercado”, diz.  E as lawtechs são partes essenciais nesse ecossistema. “Elas geram mais eficiência e competitividade, capacita análises de controle, criam novas possibilidade de resolver dores de mercado e geram oportunidades de crescimento”, defende Toco.

Mas é preciso ter cuidado ao trabalhar com inovação – tanto quem está desenvolvendo um novo negócio quanto para alguém que busca adotar alguma tecnologia no seu escritório ou departamento jurídico. “É essencial entender sua dor antes de começar, porque senão você vai fazer algo que já existe ou que não atingirá ninguém. Por outro lado, as empresas e as advocacias também precisam buscar transformações e inovações que façam sentido para o seu perfil e tipo de negócio”.

Para ajudar todos os players desse ecossistema, a AB2L criou grupos temáticos – que discutem desde blockchain até inteligência artificial focada no mundo jurídico – e promove encontros presenciais em diversos estados do Brasil. Além disso, a associação promove hackatons e demo/pitch days para fomentar o ecossistema de inovação jurídica.

Deixe uma resposta